<$BlogRSDURL$>

..::: Verso & Prosa :::..

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

 NOTA PRÉVIA

Uma das coisas que mais me emocionam,
é saber que quase todas as coisas me emocionam.
Entre elas estão algumas especiais:
O amor, a natureza, as amizades...
Escrevo tentando buscar minha paz nestas verdades
e dividi-las com quem possa.
Com a alma livre, sinto sede de expressão.
Se assim ou de outra forma não o fizer,
perco-me e até morro em mim.
por isso, sempre peço que aceitem
a minha sensibilidade
como sendo o que tenho de melhor.

Wellington Ribeiro

Inspirações


Maio 09, 2004

Maio 14, 2004

Maio 15, 2004

Maio 16, 2004

Maio 20, 2004

Maio 22, 2004

Maio 29, 2004

Junho 05, 2004

Abril 14, 2005

Março 04, 2007

 14.4.05

A Hora Derradeira


Quando desta me for,
Vistam-me de poeta e "coroai-me de rosas".
Unjam o meu corpo com alfazema para
Atenuar o astral pesado.
Leiam-me um belo texto para matar de inveja os defuntos ao lado.
Lágrimas, só as sinceras.
Dos amigos íntimos, dos grandes amigos!,
Dos parentes que considero e
De uma ou outra simpatia.
Os desafetos, se os tiver, despretensiosamente,
Penso que lamentarão.

Quando desta me for, se logo for,
Não deixarei bens, dívidas ou filhos.
São heranças pessoais, intransponíveis.
Aliás, os bens, se existirem serão disputados, à unha,
Pelos ratos consangüíneos.
Dívidas, até hoje, só ouvi falar.
Passaram ao largo de mim.
E os filhos foram um "sonho" do começo de vida nunca realizado
por questões pessoais e de sobrevivência.

Quando desta me for quero que bebam a minha partida.
Uma rodada de um bom "Chileno" anestesiará os ânimos
Sem embriaguez.
Deixando tudo calmo e requintado como numa reunião de amigos.
Setenta e duas horas depois, fechem o ataúde e me levem a ser
Lambido e saboreado pelas línguas incandescentes.
O que de mim ficar, pouco importa.
O epitáfio expressará...
A missão estará cumprida.
O que se for estará guardado pela canção da perenidade...

Saudade dói


Inda ouço o seu gargalhar
A trinar em meus ouvidos
Como o apito do marinheiro
Que um dia fui.
Três luas se vão,
E continua viva em meu coração
Como a canção que em
Seu colo me embalava.
Sei que está ao meu lado
E seus sinais são visíveis,
Mal comparando,
Com os da "Libélula" em película.
Minhas lágrimas, hoje,
São só um pouco da saudade que sinto.
Mas, não se aflija, minha vozinha,
Vai passar...
Embora, inda ouça o seu gargalhar
A trinar em meus ouvidos...

Batismo


Banha-me do teu amor
Sem pudor
Enquanto podes
Banha-me do teu amor
E sobrevivamos do odor curado no ar
Banha-me...
Simplesmente banha-me e
Entra, senta, deita e come...
Como se, o meu coração, a tua casa fosse
E que seja
Mas, banha-me com teu amor
Sempre que quiseres, que puderes
E leva contigo a minh'alma
Cativa.

Ser Brotinho


Tenho conjeturado dias a fio sobre a questão
do que é "ser brotinho", gíria carinhosa dos Anos Durados.
Aí, descobri que ser brotinho é tão "complexamente fácil"
que resolvi dar voz à pena, depois ao teclado,
e abarcar numa dissertação singela presenteando
um jovem amigo, dizendo que ser brotinho independe
de muitas coisas como idade ou posição social.
É mera ousadia, sem rebeldia, sem causa e muitos ganhos.
Pois ser brotinho ou se é, ou não.
É acordar todo dia com olhos de quem os têm novos.
É comer ovos, tomar Nescau e cereais pela manhã.
Ser brotinho é achar que o mundo é cor de rosa
sem esquecer outros matizes.
É dar bom dia pro Sol e ser amigo da Lua.
É ir à praia, jogar frescobol, tomar água de coco e se bronzear...
Como diz o Bial: “sem esquecer de usar o filtro solar”.
Ser brotinho é sonhar e realizar que a sua Nação é a melhor do mundo.
É se aculturar certo de que este é o caminho; e que não há outro.
É dar beijo na boca com variações e não ter compromisso ou preconceito.
É, às vezes, perder o juízo e, mais tarde, bem mais tarde, recuperar.
Porque o bom de ser brotinho é poder "ficar"
Sem se preocupar com o que outros vão dizer.
Ser brotinho é aproveitar a mágica da vida...
É respeitar os mais velhos, as crianças e aprender com eles também...
Sem esquecer que canalhas também já foram crianças, e envelhecem...
Ser brotinho é saber que tem coração, pulmão, pressão,
intestino e, se for menino, próstata.
E que sendo amigo deles, eles também serão seus amigos.
Ser brotinho e tudo isso e mais um pouco.
É felicidade, cidadania, dignidade, alegria e, sobretudo responsabilidade...
Sem esquecer de usar, como diria o Pedro Bial:
fio dental, enxagüante bucal, camisinha e filtro solar.

Anúncio


Precisa-se de um amor urgente
Não para ter saudade
Mas para ser freqüente
Nem precisa ser de cama, mesa e banho
Nem precisa ser grande ou pequeno
Muito ou pouco
Pois amor não tem quantidade nem tamanho
Basta que seja amor
Precisa-se de um amor único e completo
Enquanto exista
E que resista ao inesperado

Precisa-se de um amor urgente
Para fazer carinho, denguinho
E muitos outros "inhos"
Regados por um bom vinho
Só para perfumar e rimar
Precisa-se de um amor
Precisa-se de um amor urgente
Só para ter a certeza de
Não ser só.

Meu Jeito


MEU JEITO


Do jeito que vejo
O dia pontuar a manhã
Do jeito que vejo
O beija-flor na janela
E da janela
As crianças na escola
A brincar
Do jeito que vejo
E ouço a canção
A me remeter para
Tempos imemoriais
Do jeito que falo, que ando, que piso
Do jeito que viso
O ser fundante em mim
Esse é o meu jeito.

Recomendações

Adicionar a Favoritos

© copyright 2004  Wellington Ribeiro

webdesign por §¢hªnt®ë